Brincadeira sem dúvida é coisa séria!

Por Luciana Rossi Nascimento, Neide Rossi, Maria Zilda da Silva Barbosa

Certamente o brincar é muito importante para as crianças dentro da escola, pois a brincadeira auxilia no desenvolvimento físico, mental e social. Sabemos também que o brincar é algo inerente nas crianças, mas, sem dúvida, deve ser incentivado (por nós educadores), para que elas se apropriem desse ato.

Os primeiros questionamentos sobre o brincar não estavam relacionados a jogos, brinquedos e brincadeiras, mas focavam a cultura”, diz Clélia Cortez, formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo. No fim do século 19, o psicólogo e filósofo francês Henri Wallon (1879-1962), o biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980) e o psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky (1896-1934) buscavam compreender como os pequenos se relacionavam com o mundo e como produziam cultura. Até então, a concepção dominante era de que eles não faziam isso.

Wallon, defende o brincar e o brinquedo juntos como uma forma de estruturação do Eu da criança. Esse é um meio que possibilita a construção da personalidade. Quando se tem um espaço organizado para isso e a disponibilidade desse material, isso fundamentaria a fluidez das emoções e pensamentos, dando-lhe mais conhecimento para se desenvolver uma pessoa completa.

Piaget, diz que a criança exploradora, construindo seu conhecimento, dando ênfase na inter-relação do ambiente com o individuo, compreende a utilidade e funcionamento das estruturas do mundo.

Vygotsky, aponta o brincar na primeira infância um meio para o desenvolvimento psicológico e sociocultural da criança, sendo fundamental pelo fato de poder criar situações diversas, de forma que imaginaria aquilo que passaria despercebido pela criança na brincadeira se torna regra. A partir de todas essas teorias e referências o lúdico caminha junto com o didático e é ai que entramos com planejamento. E através do brincar, podemos orientar às crianças que é importante descobrir, inventar, exercitar, conferir suas habilidades. E que o brinquedo proporciona a iniciativa; autoconfiança; estimula aprendizagens; o desenvolvimento da linguagem; do pensamento; da concentração e da atenção. Sendo assim, as crianças interagem e expressam, comunicam seu mundo interno.

A criança e o brincar são conjunturas indissociáveis, brincar é tão relevante a criança quanto o trabalho aos adultos. Ao pensar na criança precisamos pensar no tempo  que proporcionaremos momentos  de ser e sentir-se criança.

Criança que não brinca não se desenvolve, não interessa-se, entusiasma-se, não é sensível e nem afetivo pois não aprende a ser. Devemos com educadores, pais e sociedade entender o brincar como uma linguagem infantil, uma forma como os bebês, crianças bem pequenas e crianças pequenas usam para falar de forma não convencional, mas para expressar-se e manifestar suas vontades, sentimentos e inquietudes.

Ao brincar por exemplo com uma boneca, a criança apreende acontecimentos que vê e observa no seu cotidiano, repete o que vê o adulto fazendo, incorporando e  repetindo o mesmo na brincadeira. Se brinca com a boneca com agressividade, batendo e empurrando-a certamente está pretendendo comunicar-se, refazendo com seus brinquedos, cenas vivenciadas em sua vida e comportamentos de adultos, usando essa linguagem para falar “foi isso que aprendi e vivenciei” dai então a necessidade de se mediar as diversas ações do brincar e atenção ao modelo que se dá a criança.

Nós educadoras buscaremos sempre incentivarmos nossas crianças a estarem brincando, seja de forma dirigida ou livre, com a nossa participação, interagindo com as mesmas, mostraremos que brincar nada mais é do que comunicar-se em uma linguagem universal. As crianças através da brincadeira conhecem e compreende o mundo em que esta inserida. Ao brincar ela desperta suas emoções e frustrações aprendendo a lidar com as mesmas, entende a importância do outro através das parcerias que faz ao brincar, compreendendo  que perde-se a ganha-se e a compartilhar.

Entusiasmamos cada vez mais a criança a brincar livremente, assim ela constrói seu meio, diverte-se e se desenvolve de forma saudável. É brincando que elas aprendem a dar sentido ao mundo. Porque brincar realmente é coisa séria.

Referencias Bibliográficas:

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on reddit
Share on email

Os pontos de vista expressos neste artigo são de responsabilidade do(a) autor(a).

Comentários

Deixe um comentário

Você também pode gostar